2017-06-20

New parts for Sportster....








Tens uma Sportster de 2004 até a actualidade?
Muda-lhe o look sem ter que cortar ou soldar....

Dealer oficial da Easyriders Japan, directamente para tua casa...
informa-te por mensagem, telefone ou email a kustomville@hotmail.com
Biltwell Risers, novos...80 euros
Pedidos por msg a kustomville@hotmail.com
Grelha traseira para sportster de 2004 ate 2017, nova, 45 euros
Pedidos por msg a kustomville@hotmail.com



Drag Pipes para softail ate 2006, novos, Vtwin....200 euros
Pedidos por msg a kustomville@hotmail.com


Escapes Crusher para touring de 2009 a actualidade;   consultar preço.

Back Home.....


Home is where the heart is...

2017-06-19

Segunda oportunidade...

Dizem que não há duas por três, que certas coisas acontecem porque sim, que a vida é mesmo assim e o mundo roda todos os milésimos de segundo.

Em Janeiro deixei o blog no dia 8, o melhor dia, pois foi um Domingo...

Em 11 de Janeiro de 2017 tive um acidente que me atirou para uma cama de hospital, para uma sala de operações e para uma lenta recuperação, que ainda não acabou...

Muitas coisas se passaram, foi uns meses com um efeito macabro de "maquina de lavar" e algumas coisas foram ao lugar, e outras , nunca irão ser as mesmas.

Foi graças a esse acidente também, que ganhei balanço para finalizar um livro que á muito tempo me pediam para editar, que veio a chamar-se "Viver no Vento" .

"Viver no Vento" é um conjunto de pensamentos que nos surgem atras de um guiador de uma mota, é uma especie de loucura saudavel, uma explicação para quem nunca andou de mota e uma especie de identificação para quem vive este mundo...

Num dos textos descritos no livro, o qual aqui transcrevo, meti em palavras o que senti no dia do acidente...;

"Esta noite foi diferente...
Via se o inverno avancar lentamente na noite lisboeta e embora o dia tenha sido proveitoso e agradavel na companhia de amigos e alguns conhecidos na nova casa da Damage Inkorporation,do meu grande amigo Sergio,o que mais me interessava realmente era poder ir para casa,tomar um duche quente e aninhar me junto daqueles que me amam e que eu amo.
Todos sabem que depois de uma discussao mais acesa,sabe muito bem ter um pouco de paz e "fazer as pazes",recuperar tempo perdido com cenas que nao lembram a ninguem e que em geral sao motivos orgulhosos para se destruirem familias...e eu so queria chegar a casa nessa noite.
A Buell bem me queria levar,embalando me no seu ronco grave e com suavidade puxando me para a frente enquanto o vento gelado me lembrava que capacete aberto,tenis e camisola e calcas de fato de treino nao sao indumentaria para uma noite de Janeiro.
Mas o destino prega partidas como sempre,quer-nos onde ele se lembra,nao somos donos absolutos de cada gesto ou decisao tomada.
Nessa noite o destino apareceu em forma de um carro,numa lomba.
O embate lateral foi inevitavel,e embora este Taxi tivesse nao sei porque na minha faixa de rodagem,o primeiro impulso da sobrecivencia dita que nos tentemos desviar o mais possivel de um obstaculo...assim o fiz mas nao foi o suficiente.
Lembro me de gritar e ouvir a minha companheira de duas rodas a rasgar o alcatrao...em parte comigo debaixo dela,a trucidar me a perna e pe esquerdo.
Nunca e facil quando "vamos ao tapete",quando saimos da zona de conforto e da nossa liberdade individual e aterramos com toda a forca num sitio improvavel...mil imagens te veem a cabeça,e mil e uma sucedem depois,mas aquela que te marca mesmo è o momento em si...ver as faiscas...o alcatrao raspado...o som e cheiro da mota conforme perde a vida e se desliga por ela mesma.
Essa fraccao de segundos acompanha te para o resto da vida...nao se chama trauma ou psicologia barata mas sim um misto de dor que o cerebro nao consegue apagar.
E nessa noite eu so pedia que o destino me deixasse em casa onde a minha mulher me esperaria e os meus filhos estariam na cama a espera do beijo de boa noite...
Nao aconteceu...
Veio os bombeiros,o taxi desapareceu para parar uns metros mais a frente do local,estacionado no outro lado da rua,como um puto que parte um vidro a pedrada e fica escondido a ver a reaccao do dono da janela...eu imovel,frio,a olhar para a mota e um pe ensaguentado e a entrar em choque...num estado que nunca vou,nem quero voltar a estar.
Aparece um amigo,conforta me,depois os bombeiros,uma rapariga que teimava em que eu nao adormecesse e fala se com ela,mas a maca e ambulancia sao frias e eu so queria dormir e pensar que tudo isto era um sonho mau e que iria acordar sem dores.
Mas nao foi...
Nunca foi um sonho...ao inves tornou se num pesadelo composto por exames,anestesias,raio X,dedos do pe amputados,abrasoes e tatuagens feitas pelo alcatrao,mais dores,mais dor de cabeca.,mais e mais....
E dias depois aqui me encontro,ainda meio perdido,ainda sem querer encarar realidades que marcam tudo em teu redor.
Rodeado de pessoas que tal como eu so queriam ir para casa naquela noite...um porque levou uma facada na mao quando estava na discoteca,outro porque cortou um dedo quando cortava peixe em Sesimbra,outra porque se queimou com uma panela de agua a ferver,outros simplesmente por acidentes tal como eu...
Todos com as suas historias,os seus destinos,o seu pesar e dose de dor repartida atenuada pelas drogas legais que os enfermeiros insistem em meter junto do sangue que ainda circula em corpos imoveis deitados nas camas de hospital.
Drogas essas que agradecemos ver entrar dentro do cateter,abstraiem nos de uma realidade e de uma dor latejante que nao vemos maneira de parar.
O destino diz nos que è hora de parar,de meter uma pausa numa vida demasiada ocupada que nos mesmos impomos...nao nos resta tempo para familia,amigos,para comermos ou dormirmos,mijar ou cagar...somos absolutos e conseguimos tudo,contrapondo a ampulheta e os ponteiros,nao tendo medida no que queremos fazer...somos tudo e depois de repente ja nem nos levantamos,olha mos para a cama e so queremos ir para casa.
E eu nessa noite,so queria mesmo ir para casa....
Marco Santos

2017-01-08

Domingo......

Pois....tá frio....

Cut, weld , transform and ride.....repeat.....

"There was nowhere to go but everywhere, so just keep on rolling under the stars." 
— Jack Kerouac (On the Road: the Original Scroll)

Go crazyyyyy......or dont go.....

“Some people never go crazy. What truly horrible lives they must lead.” 
― Charles Bukowski